Os alunos da turma A do 11º ano, no dia 22 de fevereiro de 2024 foram ao Instituto de Investigação da Floresta e Papel – RAIZ, onde participaram em atividades enquadradas no DAC da Turma e em Cidadania e Desenvolvimento. Esta visita faz parte do PAEMA da Câmara Municipal de Aveiro, que também assegurou o transporte e do plano de atividades do Clube de Ciência Viva na Escola.

Os alunos, tiveram a oportunidade de adquirir mais conhecimento sobre as árvores, a sua exploração de forma sustentada e o tipo de florestas que existem em Portugal. Esta visita foi também importante para perceberem que a manutenção de uma floresta exige recursos humanos de diferentes áreas científicas, facto que pode ser importante para uma escolha da área que irão seguir num futuro próximo.

 

A equipa do Clube de Ciência Viva na Escola

Ao longo deste mês de fevereiro, a equipa do Clube de Ciência Viva na Escola tem vindo a dinamizar a atividade “carrinhos movido a hidrogénio” em todas as turmas de 9º ano de escolaridade, num total de 12 sessões implementadas nas aulas de prática-laboratorial da disciplina de Físico-Química.

A atividade tem como objetivo principal a compreensão de como estes carros funcionam, conhecendo as suas vantagens e desvantagens, numa perspetiva de mobilidade ecológica onde o hidrogénio “verde” assume um papel fundamental.

São consolidadas aprendizagens essenciais da disciplina de FQ no âmbito da contribuição da Química na produção e aplicação de materiais inovadores para a melhoria da qualidade de vida, sustentabilidade económica e ambiental.

No mês de março, esta atividade será dinamizada nas turmas de 10º e 11º anos, na disciplina de FQ, num total de 9 sessões.

 

A equipa do Clube de Ciência Viva na Escola

 

No âmbito de um DAC das turmas do 7º ano de escolaridade, decorreu uma exposição de trabalhos dos alunos na Biblioteca Escolar entre os dias 11 e 18 de janeiro.

O desafio proposto nas aulas de Ciências Físico-Químicas teve continuidade prática nas aulas de Educação Visual e sugere a combinação entre as artes plásticas e a exploração de conteúdos relacionados com as energias renováveis, na procura de soluções para mitigação das alterações climáticas.

Em estreita articulação com o Clube de Ciência Viva na Escolas, as disciplinas envolvidas no DAC promoveram o desenvolvimento de uma maquete 3D de um (ou vários) protótipos de energia renovável (eólica, hídrica, solar térmica, solar fotovoltaica, etc) que se apresentasse como “exemplar” no campo da sustentabilidade energética e que sensibilizasse a comunidade escolar para a adoção destas fontes de energia.

A elaboração destas maquetes permitiu construir conhecimento com base na vivência prática dos alunos e desenvolver habilidades como: a comunicação através da expressão oral (na apresentação de projetos), a ajuda mútua, a partilha de conhecimento, a cooperação entre os alunos e a criatividade e a vontade de fazer a diferença.

 

A equipa do Clube de Ciência Viva na Escola